Diário de Bordo – Quem faz a foto? Parte 3

Dia 26 de setembro. Pensamos em fazer desse fechamento não o da oficina, mas de uma etapa do projeto. Curadoria, ampliações das fotos e a produção da exposição dos resultados das saídas fotográficas. Tudo isso ainda tem que ser organizado, com prazos, fechamento de projeto, contato com apoio e patrocinadores. Mas isso é pra depois!

O resultado das fotos feitas no decorrer da semana foi mostrado a todos. Mais euforia, mais análise das fotografias e mais surpresas. Clima de expectativa das novas etapas. Hoje levamos Aragão, amigo e video maker pra conhecer o projeto e fazer uma parte do video que será editado no nosso video-documentário. Ele foi super-bem recebido, junto com Dayse, namorada e “segunda-câmera” da filmagem dele.

Hoje conversamos muito, discutimos novamente sobre as fotos, a análise crítica coletiva, a curadoria coletiva e a pactuação sobre a possível exposição de parte delas numa Galeria de Arte. Foi tudo muito positivo, o clima não foi de despedida, e sim de expectativa. Nos despedimos nos comprometendo a retornar antes da exposição com as fotos ampliadas em 10 x 15, para entregar a todos os participantes.

Agora entramos oficialmente numa corrida contra o tempo!

Apoios, parcerias, apresentação do projeto, espaço para exposição, produção da exposição, materiais diversos, conceitos, textos, estudos, UFA! Começamos a traçar o cronograma das atividade, com prazos curtíssimos, já que temos que expor antes do fim do ano.

Noites insones começam a tomar conta da gente. Reuniões infindas, incertezas, mas muita dedicação por parte dos membros do coletivo. Todos comprometidos em formatar um modo de mostrar a todos como foi trabalhoso e proveitoso esse encontro de olhares sobre a vida.

Pessoas de tão diversas origens, vivendo numa mesma cidade, numa cidade que inicialmente era invisível aos nossos olhos, se encontram e descobrem o que há de comum: o desejo de viver o belo, o feio, a diversidade, sem preconceitos.

A exposição oficialmente estava marcada para dia 16 de novembro de 2009, na galeria Semear. Quantas fotos serão? Como expô-las? Como montar uma abertura que seja um fechamento à altura do clima das oficinas?

Questões e mais questões!

Muito ainda por responder, mas será que teremos essas respostas?

Esse post foi publicado em Memórias. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s